Arquivo | Gestão & Carreira RSS for this section

Dosar competências

Qual o conselho, como líder, que você daria a seu pessoal? Inicialmente eu responderia assim:

“Uma equipe vencedora só pode ser formada por profissionais que atuem com ética e responsabilidade em suas funções. A chave do sucesso está em saber dialogar com todas as pessoas com as quais nos relacionamos. Não há limites para superarmos desafios. Cada um é parte fundamental para alcançarmos nossos objetivos. Nada é impossível quando queremos chegar lá. A soma do talento individual [competências de cada integrante da equipe] é a nossa principal ferramenta para vencermos”.

Refletindo ainda mais a respeito, podemos considerar que uma equipe de sucesso é mesmo uma soma de talentos individuais, cabendo ao líder buscar o equilíbrio entre as competências necessárias para cumprir os objetivos propostos. Dialogar sempre é o conselho a que me refiro. Você concorda?

Anúncios

Redobrada a força… será pleno

Eu nem ia fazer post sobre a saída de um de meus trabalhos, mas, com tantas mensagens que recebi, quero retribuir o carinho e deixar um link para uma canção muito legal. A todos, novamente obrigado. À minha eterna equipe de Comunicação e Marketing, um abraço especial.

Escritório compartilhado

Coworking é uma forma de compartilhamento de um mesmo local de trabalho por profissionais de diferentes áreas de atuação. Em comum, dividem todos os custos de uma infraestrutura e, muitas vezes, conhecimentos para aplicação em seus negócios. Nesta entrevista à Veja.com, alguns desses profissionais falam das vantagens desse conceito, que já existe há muito tempo fora do Brasil.

É importante lembrar que o teletrabalho, o trabalho realizado a distância e em qualquer lugar, inclusive em casa, tornou-se viável pelo uso e desenvolvimento da tecnologia e pelas formas possíveis de comunicação mediada por computador.

 A reportagem é de Rafael Sbarai:

Raiva no trabalho? Vai com calma.

Será na próxima quarta-feira, 24/2, às 19h, o lançamento do livro “Tenha Calma!  Como lidar com a raiva no trabalho e transformá-la em resultados positivos“, assinado pela amiga Vera Martins.

Para quem conheceu, antes, “Seja Assertivo!”, certamente esta obra surpreenderá ainda mais o leitor pela grande contribuição que a Vera dá aos profissionais em diferentes estágios de sua carreira. O encontro será realizado na Livraria Cultura, no Conjunto Nacional, na Av. Paulista, 2.073.

Faltou bom senso

Ruídos de comunicação, erros de interpretação, falta de preparo para um entrevistado. Não adianta ter experiência na profissão e insistir em um assunto baseado no “me disseram que…”. Boa postura da Renata Fan ao responder a Lincoln, novo contratado do Palmeiras.

De nada vale uma carreira internacional se não há postura para lidar com supostas críticas, mesmo que elas existam. Quer acabar com a própria imagem? Comece assim…

E sem o seu trabalho…

Quase na virada do ano, um comentário infeliz do âncora Boris Casoy no Jornal da Band, em vazamento de áudio do telejornal, ofendeu a todos os trabalhadores que atuam como garis e, por tabela, os demais telespectadores. Lamentável que tenha sido assim, mesmo com o pedido de desculpas feito no dia seguinte, primeiro dia de 2010.

Não tem tanto tempo, um concurso para preenchimento de vagas de gari no Rio de Janeiro atraiu milhares de candidatos com as mais diversas formações e títulos, entre os quais mestres e doutores. Reconheça-se que uma oportunidade de trabalho, seja qual for, é uma forma digna para se ganhar o próprio sustento e contribuir para o desenvolvimento econômico de um país. Foram, aliás, 3.800 garis, no mesmo Rio de Janeiro que citei, que recolheram ontem o equivalente a 522 toneladas de lixo na orla e pistas da cidade, o que eleva a importância da categoria quando o assunto é também saúde pública.

Se essa função é  “a mais baixa da escala do trabalho”, como comentou Casoy, continua sendo um trabalho digno do mesmo jeito. Quem não se lembra do Renato Sorriso, no carnaval carioca? Isso me faz acreditar que toda categoria profissional é formada por pessoas que amam o que fazem e se sentem honradas por isso – e às vezes não. Dignidade não é algo que se aprende unicamente por educação na escola, mas na vida em família e em sociedade – e com a distinção que  só o ser humano é capaz de estabelecer entre o certo e o errado. Tal como acontece com a formação do caráter no respeito às pessoas.

Agradeço aos garis da reportagem do Jornal da Band pelos votos de um Feliz Ano Novo “com muito trabalho”. A vocês também, um novo ano de muitas realizações.

“E sem o seu trabalho… um homem não tem honra”: verso de “Guerreiro Menino”, de Gonzaguinha, interpretado por Fagner (clique na imagem para assistir ao vídeo no YouTube).

Falta pouco…

Uma “sinfonia agridoce” para combinar com o dia de hoje. Em algumas horas, 2009 estará encerrado. Bittersweet Symphony é uma canção da The Verve, banda de rock britânica, que iniciou sua carreira em 1989, encerrou em 1999 e voltou em 2007 (clique na imagem para assistir o videoclipe no YouTube).  Às vezes, uma carreira bem-sucedida acaba por sofrer interrupções. Por outro lado, sempre existirá um recomeço para aqueles que tenham talento. 

A música em questão, qué já foi trilha de “Segundas Intenções (Cruel Intentions)” no cinema, em 1999,  conferiu ao grupo uma acusação de Mick Jagger de plagiarem um sample e também a expressão que dá título à canção. A banda perdeu na justiça o direito de criação dessa composição e Jagger foi agraciado com os “royalties” resultantes do uso e execução da música.

Em tempo: os acordes de Bittersweet Symphony fizeram parte da trilha de um respeitável comercial do Bradesco, “O Banco do Planeta”:

Um mundo de gente fina, elegante e sincera

Charlie Chaplin protagonizou uma cena clássica para quem estudou Administração e o ambiente industrial:

… mas Lulu Santos resumiu em sua música, a partir do mesmo título do filme (Tempos Modernos), a esperança de um novo começo. Concordo com ele. Eu também vejo a vida melhor no futuro. Nada de apertar parafusos. Há muitas habilidades a serem desenvolvidas em 2010.

Em tempo: êta videoclipezinho antigo…

The Blues Brothers

Hoje é dia de confraternização na empresa e o tema que dá nome ao encontro é Superação. Passamos, como muitos, por diversos desafios e o título é realmente bastante sugestivo.

 Tenho muito a agradecer a todos que trabalham (ou trabalharam) comigo e entrarei na brincadeira sugerida, que é o clima de uma festa à fantasia.

Compartilharei com um colega da área a mesma caracterização: Os Irmãos Cara de Pau. Para quem não lembra, é o nome de um filme de 1980. Eis um vídeo que mostra o estilo a que me submeterei, em uma das cenas originais do filme. Importante dizer: não haverá nenhuma performance…  minha cara de pau não chega a tanto (rs). Clique na imagem acima para assistir:

Compromisso e alinhamento

Meses atrás, fiz referências a este vídeo como exemplo de uma empresa que tem muito a contar no que se refere à sua política de gestão de recursos humanos e aos valores nos quais acredita.  A própria fala dos colaboradores, independentemente do nível hierárquico, sugere o alinhamento interno que existe.

Gestão de pessoas

Há quatro anos, tive a oportunidade e a satisfação de ser um dos alunos da Célia Marcondes Ferraz, na disciplina Ambiente de Negócios Globalizado, no curso de pós-graduação em Comunicação com o Mercado da ESPM.

Nesta entrevista para a HSM, a professora fala sobre a importância estratégica da gestão de pessoas, um papel que precisa urgentemente ser repensado por muitas empresas, como ela mesma sugere.

Clique na imagem para assistir a parte 1 da entrevista ou aqui para a segunda parte.

Mais humor no trabalho, sem temer o ridículo

The Laryngospasms é um divertido grupo norte-americano formado há quase 20 anos por profissionais da área de saúde (enfermeiros anestesistas).  Embora tenham CDs gravados e façam shows regularmente, não dá para dizer que sejam os maiores músicos do planeta, mas vale conhecê-los pela irreverência de suas paródias, todas ligadas, claro, à área médica.

A versão, a seguir, é da música “Breakin’ up is hard to do” do Neil Sedaka (1966). Afinal, se romper um relacionamento é algo difícil, lembre-se que acordar, às vezes, pode ser ainda mais…

Moral da história: coloque mais diversão em seu trabalho e não se preocupe com o ridículo. Há outros talentos que precisam ser explorados. No mínimo, será divertido.

Empreender e compartilhar conhecimentos

De acordo com o Sebrae-SP (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), empreendedorismo é o “ato de criar e gerenciar um negócio, assumindo riscos em busca de lucro”. A definição, claro, pode ir muito além. Um empreendedor é capaz de inovar e transformar uma grande ideia em um negócio sustentável, dar oportunidade de trabalho a outras pessoas, contribuir para o desenvolvimento da economia e estimular a criação de novos negócios.

Para quem quiser conhecer alguns cases a respeito, uma dica é acessar o site do Instituto Empreender Endeavor Brasil. Na seção “Conteúdo”, há ainda um acervo de vídeos, com palestras e apresentações de eventos organizados pela instituição a respeito de estratégias, marketing e vendas, entre outros temas. Entre os palestrantes que compartilham seus conhecimentos, há comunicadores e profissionais de marketing. Vale a pena conferir.

Vai mesmo trabalhar com propaganda?

Acredito que este vídeo dá uma oportunidade interessante para repensar melhor quais são, de fato, as atribuições de um profissional de Publicidade e Propaganda. Que esse trabalho continuará sendo importante no futuro, para apoiar as estratégias de comunicação das empresas, não tenho dúvida.

(Caso não consiga ver corretamente a legenda, clique na opção “tela cheia”).

Trabalho em equipe

Confiança, lealdade, aprendizado e determinação são valores mais que especiais presentes em grandes equipes. Felizes aqueles que têm o privilégio de conviver com profissionais que mantém o sincronismo mesmo em épocas turbulentas.

Demita o gerente de marketing

“Seu pensamento é muito romântico”… Já ouviu isso ao apresentar uma proposta de marketing que pode ajudar uma organização a encontrar seu caminho e posição no mercado? Que empresas com antigos problemas de gestão tendem a sucumbir, ninguém duvida.

O vídeo abaixo, numa bem humorada redublagem’ do filme “O Planeta dos Macacos”, ilustra as dificuldades de corporações que não valorizam seus funcionários e tendem a viver em função do passado. Há pouco tempo, me referi a esse material em um encontro de Gerenciamento de Negócios de Comunicação.

Há atitudes mais inteligentes do que simplesmente sugerir a demissão de um profissional. Reconhecer que uma gestão é ultrapassada pode apontar novos rumos para uma empresa. Endomarketing e Comunicação Interna podem apoiar um novo planejamento estratégico.

Gestor é meio de comunicação?

Na atual conjuntura, sim. Se o meio é a mensagem, o gestor é um dos canais mais eficientes para que os objetivos da empresa sejam melhor interpretados.

Nunca o diálogo foi tão necessário como agora, em que governo e empresários admitem que a crise financeira, no Brasil, dá sinais de cansaço. O ano de 2010 pode ter uma interpretação mais otimista do que era esperado. Comunicação e liderança, portanto, devem caminhar lado a lado.

Mudar para melhor

Há momentos na vida profissional que é necessário propor mudanças para a organização ou ajudar os menos experientes a compreenderem que relações éticas devem pautar a conduta do funcionário no relacionamento com os stakeholders. Se essas mudanças não acontecem, melhor buscar outras alternativas, mas deixar claro quais os caminhos teriam sido os mais corretos.

Resgatei este artigo do consultor Ricardo Piovan, que é uma leitura bastante interessante para todos os profissionais, sejam de Comunicação ou Marketing ou mesmo de outras áreas. Para ler, clique aqui.

Planejar sempre

Saber planejar permite conhecer aonde se quer chegar. “O planejamento (…) possibilita perceber a realidade, avaliar os caminhos, construir um referencial futuro, estruturando o trâmite adequado e reavaliar todo o processo a que o planejamento se destina.  (…) escolhe e organiza ações, antecipando os resultados esperados” (Wikipedia).

A letra da canção do videoclipe abaixo apenas contextualiza a falta de planejamento e a inércia de quem fica à deriva, como ocorre em empresas que não identificam seus recursos humanos como fatores estratégicos para negócios:

Um milhão de consultoras

NaturaDestaque do jornal Valor Econômico desta quarta-feira: Natura está presente em mais de 50% dos lares brasileiros, em pesquisa que compreende junho de 2008 a junho de 2009. A força de vendas da empresa alcançou também um número para lá de significativo na semana passada: mais de 1 milhão de consultoras, sendo 85,1% atuantes no Brasil.

“O plano de alocar 8 mil consultoras, como a empresa chama suas vendedoras, e dar a elas a missão de recrutar e treinar mais mulheres trouxe crescimento”, revela a reportagem. De pessoas para pessoas… É assim que se cresce.

Para conferir a reportagem, clique aqui.

Fuja dos encantadores de serpentes

Escolher um novo fornecedor para serviços de comunicação é sempre uma difícil tarefa, pois é preciso identificar competências, bem mais que técnicas ou operacionais, que estejam alinhadas aos objetivos estratégicos de uma organização. Quando existe transparência nesse processo que levará a uma contratação, as chances de que a decisão seja correta são altas.

Por esse motivo, a escolha de um fornecedor deve sempre ser conduzida por quem conhece bem os serviços a serem contratados. É menos custoso e bem mais eficiente para a empresa. É similar, hoje, ao que grandes consultorias em RH fazem para avaliar os melhores candidatos para posições-chaves das organizações que atendem. O entrevistador, nesse caso, é alguém que já passou por funções similares às que constarão do perfil dos candidatos e que, portanto, terá maior propriedade para avaliar os currículos e identificar o melhor profissional para a vaga.

Caderno de Comunicação Organizacional - Abracom: "Como escolher uma Agência de Comunicação"Recomendo sempre a leitura de um caderno de referência produzido pela Abracom (Associação Brasileira das Agências de Comunicação), intitulado “Como Escolher uma Agência de Comunicação”.  Esse material contribui bastante para que os profissionais de Comunicação e Marketing adotem procedimentos corretos na escolha de seus novos parceiros. Além de tudo, é uma forma de se evitar os “encantadores de serpentes”, aqueles que têm discursos sempre melódicos, mas que, na prática, estão longe de atender às necessidades de um cliente.

Encontros de trabalho

No atual mundo em que vivemos, reuniões de trabalho de última hora deveriam ser tratadas como flash mobs. Convoca-se a equipe, discute-se a pauta necessária e termina-se rapidamente, com as soluções esperadas ou com o encaminhamento dos temas abordados.

O mundo corporativo deveria considerar a relevância de se fazer uma reunião do mesmo jeito que uma assessoria decide convocar ou não uma coletiva de imprensa. Se há algo extremamente relevante a ser dito por alguém bem preparado para conversar com a imprensa, que traga boas respostas para esclarecimento público, já é um bom começo para se pensar em uma coletiva – e mesmo assim ainda são fatores insuficientes.

Trato reunião como “encontro de trabalho”. Se não houver uma clara definição do que será tratado no encontro, não existe justificativa para realizá-lo. Pior que isso, é participar de diversas reuniões até que se encontre sentido em alguma ou então procurar sair de uma delas com a data da próxima marcada, sem que o assunto principal tenha sido resolvido…

Flash Mobs são aglomerações instantâneas de pessoas em um local público para realizar determinada ação inusitada previamente combinada, se dispersando tão rapidamente quanto se reuniram. A expressão geralmente se aplica a reuniões organizadas com o uso de e-mails ou meios de comunicação social”. (adaptado: Wikipédia)

Que distância uma empresa percorre?

Para reflexão: uma frase do consultor e jornalista Francisco Viana, autor de “A surdez das empresas: como ouvir a sociedade e evitar crises”, em entrevista à Revista Melhor Gestão de Pessoas (julho/2009):

“O maior patrimônio das empresas, há muito se sabe, são as pessoas. Elas são a alma das organizações, responsáveis diretas também por sua imagem e reputação. Nenhuma empresa vai muito longe sem ouvir e valorizar o público interno”.

Teletrabalho: melhor produtividade

Trabalhar a distância é um meio de realizar as atividades profissionais em casa, ou melhor, fora do escritório. Essa é, na verdade, uma modalidade conhecida como teletrabalho ou telework, estimulada pelo surgimento de novas tecnologias de comunicação.

Em São Paulo, no dia 10 de junho, o congestionamento atingiu recorde de 293 km de extensão em toda a cidade. Vésperas de feriado, como o que tivemos, costumam, portanto, tomar muito do tempo do trabalhador. E o que é pior: acabam por transformar esse tempo em algo improdutivo. Já pensou no teletrabalho como alternativa para situações como essa?

Há alguns anos, inclusive, escrevi um artigo sobre esse assunto. Para ler, clique aqui.