Tag Archive | facebook

Como transformar seu carro em um ‘hot wheels’

O convite: “Venha transformar seu carro num Hot Wheels”. O resultado: quase 3 mil carros “embalados”, em uma semana, para compartilhamento na rede social Facebook, com a ideia que há sempre novos modelos da marca a caminho. Criação da AGE Isobar.

O amor está no ar

Como fazer a sua página no Facebook pular de 13 mil para 200 mil fãs em apenas três dias? Para a Gol, até então a lanterninha das companhias aéreas nesse concorrido mundo on line, a questão foi tratada com o devido carinho, numa tradução mais próxima da estratégia.

Durante o final de semana em que o Valentine’s Day (Dia dos Namorados) era comemorado lá fora (14 de fevereiro), a companhia aérea colocou no ar a promoção “Valentine’s Flight”, usando o Facebook. Acompanhando as mensagens postadas nessa rede social, o usuário atualizava a página para descobrir assentos disponíveis na simulação do voo promocional devendo postar imediatamente, como se fosse um comentário, o número visualizado. Aos primeiros que postassem a resposta correta, um presente de “Valentine”: um par de passagens de volta, a partir da escolha de qualquer destino da Gol.

Em média, foram 90 atualizações de página por usuário. E o resultado, claro, colocou a companhia aérea à frente de todas as demais em número de fãs no Facebook. Genial.

Criação da AlmapBBDO

Cartoons do cotidiano

Noise to signal” é uma dica de site que ilustra situações sobre redes sociais e negócios e como vivemos e trabalhamos em um mundo digital. Tem a assinatura de Rob Cottingham. Vale conferir.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


– Nosso pacote de benefícios é que não bloqueamos Facebook.

O cara do ano

Reconhecimento facial das fotos inseridas no Facebook. Essa é uma das novidades que estará disponível, inicialmente, para usuários nos Estados Unidos. Na verdade, nem é algo tão novo, uma vez que em julho passado o Facebook já havia anunciado testes nesse sentido. De qualquer forma, cada vez mais busca-se melhorar a experiência do usuário, o que é sempre muito positivo.

Neste “mundão virtual”, vencerão aqueles que fizerem uso da tecnologia de forma inovadora. E que saibam comunicá-lo adequadamente. Não por acaso, Mark Zuckerberg foi eleito a “Pessoa do Ano 2010” pela revista Time.  De acordo com Lev Grossman, jornalista que redigiu o perfil de Zuckerberg para a publicação norte-americana, “ele foi premiado por conectar mais de 500 milhões de pessoas e mapear as relações entre elas; por ter criado um novo sistema de compartilhamento de informações e por ter mudado a forma como vivemos hoje”.

Considero puro exagero a primeira e a última justificativa de Grossman. Zuckerberg não conectou ninguém; apenas tornou possível que uma plataforma reunisse espontaneamente as pessoas interessadas nesse tipo de rede social. E deu certo. Tão certo que esta semana, a revista Forbes estimou a fortuna de Zuckerberg em US$ 6,9 bilhões. Também não foi Zuckerberg que mudou a forma como hoje vivemos. Um processo de mudança pode contemplar bem mais que 26 anos, idade atual da “Pessoa do Ano”. O próprio Facebook ainda nem completou sete anos de existência. No máximo, Zuckerberg contribuiu para dar continuidade a um processo iniciado muitas décadas atrás.

Mas o que tornou o Facebook um grande sucesso ao longo destes anos, todos já devem supor. Não foi propriamente a genialidade de seu criador. Arriscaria dizer que foi o trabalho em torno daquela marca ou uma boa comunicação sobre as facilidades e os atrativos dessa rede social, sobrepondo-se à percepção dos usuários a respeito de outras redes.  Falo de hipóteses. Seria, claro, necessário pesquisarmos desde o início da fundação do Facebook para encontrarmos as respostas corretas. Se você ainda acredita que isso pouco conta para justificar o atual sucesso da rede, é só prestar atenção na frequência de seus novos pedidos de conexão desde a estreia do filme  “A Rede Social” no Brasil. Nada é por acaso.

Semi-liberdade de escolha

Sob a afirmativa de ser o “primeiro jornal brasileiro a lançar um aplicativo para o Facebook”, a Folha de S. Paulo destaca em sua edição de 24/10/2010 que já faz uso de recursos de compartilhamento de notícias naquela rede social, integrados com a Folha.com.

O aplicativo, sem dúvida, é bastante amigável, pois permite configurar a disposição de notícias e informações que sejam do interesse do leitor. Por outro lado, melhor ainda seria se o conteúdo do próprio jornal estivesse disponível, ainda que parcialmente, para o usuário. Não entro no mérito do que representa “fechar conteúdo”, mas vale dizer que o compartilhamento de informações, a partir desse aplicativo, acaba por forçar o usuário a socializar somente as notícias que foram previamente definidas nesse espaço de conteúdo aberto. Quem sabe, no futuro, o usuário tenha uma liberdade maior de escolha.

Para conferir o link no Facebook, clique aqui. O aplicativo está disponível na aba ‘Folha.com’.

Que tal um cineminha virtual?

Spike Jonze, produtor e diretor de filmes e vídeos musicais, é o responsável pela produção do curta metragem “I’m here”. Com apoio da Absolut Vodka, o curta retrata a história do relacionamento de dois robôs que moram em Los Angeles.

A grande novidade, entretanto, fica para a forma de exibição do filme. Quem quiser assistir a uma sessão, precisa se dirigir à sala virtual (clique na imagem abaixo). Na bilheteria, verifique a disponibilidade da sala e, se estiver lotada, veja o horário da próxima sessão e retorne. O número de assentos é limitado e, quando disponíveis, você pode utilizar a rede social Facebook e compartilhar o filme com seus contatos.
 

Boa sorte na fila e bom filme!

Tipos esquisitos

Em 2009, três jovens norte-americanos decidiram criar um blog, por brincadeira, para postar algumas fotos dos “tipos esquisitos” que viam frequentar as lojas da rede Walmart, nos Estados Unidos. O que era para ser uma diversão passageira acabou por ganhar cada vez mais repercussão e se transformou numa espécie de rede colaborativa. É que jovens de outros estados norte-americanos passaram a fotografar pessoas nas demais lojas da rede varejista e postá-las como contribuições no blog.

O projeto ganhou uma dimensão um pouco maior e o blog, agora, tem novas seções, inclusive uma de loja virtual com produtos que levam a marca “People of Walmart”, nome original do blog. Os próprios administradores desse inusitado serviço alertam que a iniciativa nada tem a ver com o Walmart original – e até informam o endereço do site da rede de hipermercados para o visitante.

Se isso vai adiante, não sei dizer. O Walmart, até onde pude pesquisar, não se pronunciou a respeito, mas o blog “People of Walmart” já tem mais de 31 mil seguidores no Twitter e quase 460 mil fãs no Facebook. O mais interessante é que a loja virtual walmart.com, anunciante de links patrocinados no Brasil, se beneficia das visitas locais ao endereço daquele blog que, em princípio, nada acrescenta à reputação da marca.

Publicidade em redes sociais

Já não é de hoje que sabemos que a rede social Facebook negocia espaço publicitário tendo como base qualitativa o perfil de seus usuários. A novidade, entretanto, é que o acordo entre Facebook e Microsoft em publicidade foi revisto e o contrato de exclusividade para controle de metade do negócio foi rompido.

É certo também que outras redes sociais representam um potencial negócio para anunciantes, como ocorreu há poucos anos com a compra do Orkut pelo Google. Enquanto esse mundo virtual se transforma e amplia seu alcance, as empresas proprietárias de redes sociais vão oferecendo a seus usuários novos atrativos, como jogos e serviços de interfaces com outras redes, cuja lógica é promover interação entre os usuários e mantê-los sempre por perto. Seja como for, não existe fórmula mágica para manter um serviço ativo de qualidade sem gerar receita. Redes sociais não fogem à regra.

Segurança na Internet

Para quem ainda não passou pela Campus Party 2010, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo, vale conferir a apresentação “A arte de enganar”, com o ex-cracker Kevin Mitnick, hoje consultor de segurança na Internet, realizada ontem:

Conheça também a Campus Party TV, integrada ao Facebook.

No final, você decide

Ontem um colega de trabalho me mostrou a campanha da Nespresso (café), lançada no final do ano passado, estrelada pelo George Clooney, com a participação de John Malkovich. É um modelo interessante de campanha interativa e que tem a rede social Facebook como apoio.

O site que hospeda esse ação é http://www.nespresso-whatelse.com, em que o visitante pode escolher o final para a história (o final escolhido é o que determina o filme publicitário veiculado nas TVs). Se preferir assistir apenas ao vídeo, aqui está (uma amostra, claro):

Macaca faz sucesso em rede social

A orangotango Nonja, que vinha atraindo milhares de amigos no Facebook, é uma personagem que integra a campanha publicitária da Samsung para o lançamento da câmera digital ST 1000.  Como relata um dos blogs da Info Online, em post assinado pela Renata Leal, “dias atrás surgiu a notícia de uma orangotango que fotografa o dia a dia do ambiente onde vive no zoológico de Viena, na Áustria, e manda as  fotos direto para o Facebook”.

O que era uma espécie de viral na rede, fez com que, em pouco tempo, Nonja ganhasse mais de 53,5 mil usuários como fãs em seu perfil no Facebook.

Em tempo: o equipamento lançado pela Samsung traz como novidades wi-fi, GPS e bluetooth, algo nada convencional para uma câmera. Para conhecer o site oficial da empresa, com a “macaca da rede social”, é só clicar aqui.